Vicariato da Consolação

PROVÍNCIA MÃE DO VICARIATO DA CONSOLAÇÃO

(PROVÍNCIA MATRITENSE - ESPANHA)

A Ordem de Santo Agostinho organiza-se por Províncias (unidades maiores) e Vicariatos, Delegações e Federações (unidades menores), espalhados por cerca de cinquenta países. O Vicariato Agostiniano Nossa Senhora da Consolação do Brasil está ligado juridicamente à Província Matritense, com sede no Mosteiro do Escorial, na Espanha.

 

  • Conheça o Mosteiro do Escorial no vídeo abaixo. Clich em Mosteiro do Escorial:

MOSTEIRO  DO  ESCORIAL - DOCUMENTÁRIO

 

  • NOSSA PRESENÇA NO BRASIL


O Vicariato da Consolação encontra-se presente nos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso, mantendo suas comunidades, casas de formação (seminários), paróquias, colégios, obras sociais e uma missão.

Preocupados com a situação da Espanha no final dos anos 1920, os Superiores da Província Matritense resolvem enviar alguns jovens religiosos para o Brasil, no período 1929-1933, com o intuito de salvar e promover as vocações, diante da catástrofe que se avizinhava, com a Guerra Civil Espanhola (1936-1939). Foram fundadas então várias comunidades e paróquias nos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo e também na Argentina e Uruguai.

Após a Guerra Civil Espanhola, foram fechadas várias casas no Brasil, Argentina e Uruguai, permanecendo apenas as casas de Marechal Hermes, Engenho Novo na cidade do Rio de Janeiro e em Belo Horizonte. Intensificou-se a vida comunitária e pastoral nessas obras durante os anos 1940-1960. No período 1968-1983, o Vicariato participou de um projeto de formação com outras jurisdições agostinianas do Brasil, assumindo então um novo desafio. Tendo a formação como prioridade, o Vicariato da Consolação teve sua vida modulada, animada e orientada pelas Assembléias Vicariais, realizadas duas vezes por ano.

O novo processo iniciado no final de 1983, conhecido como o "Novo Grupo" trouxe uma nova vitalidade ao chamado Vicariato Matritense, que já iniciara uma época de transformações, na década de 1970 com o incremento da atividade educacional, com a abertura de novas unidades do Colégio Santo Agostinho e realização de Assembléias Vicariais, e na década de 1980, com a abertura de uma comunidade missionária na Prelazia de São Félix do Araguaia-MT.

Desde o início, os frades se dedicaram à atividade paroquial e educacional em cidades dos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. O grande sonho era abrir um colégio num grande centro, para a educação da juventude, o que se concretizou com a fundação do Colégio Santo Agostinho, que hoje conta com três unidades: Belo Horizonte, Contagem e Nova Lima. Na periferia da capital mineira, no bairro industrial do Barreiro, funciona outro centro educativo: a Escola Profissionalizante Santo Agostinho.

A comunidade Nossa Senhora das Graças, situada na zona suburbana do Rio de Janeiro, é a "casa-mãe" do Vicariato. Uma das obras a ela ligadas é a Obra Social Santo Tomás de Vilanova, popularmente conhecida como "Sopa dos Pobres". Outra comunidade no Rio de Janeiro é a de Nossa Senhora da Consolação, com uma paróquia e uma obra social, o AIACOM, um trabalho comprometido e criativo com os menores de rua e a comunidade carente.
A formação de novos frades realiza-se atualmente em três casas: Fraternidade Agostiniana (Filosofia), em Belo Horizonte, o Noviciado, em Bragança Paulista - SP. e o Teologado, em São Paulo . Com a transferência da casa de Filosofia para uma realidade popular, no Barreiro, em Belo Horizonte, no ano de 1973, assumiu-se também a Paróquia Cristo Redentor do Barreiro de Cima. Em Bragança Paulista, há também a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, com várias comunidades rurais, assumida em 1984.

O Noviciado funcionou durante a década de 1990 como uma experiência de Noviciado latinoamericano, e posteriormente, contou com a participação dos vários grupos agostinianos do Brasil. Em 2015 teve início uma nova experiência de intercâmbio com o Noviciado Internacional Centro Sul, na cidade de Lima, no Peru, cujo primeiro Mestre foi Frei Márcio Antonio Vidal de Negreiros, de nosso Vicariato, e contou com a presença de quatro noviços do Vicariato.

A convite da Cúria Geral, centro da Ordem, em Roma, o Vicariato, no início dos anos 1990, começou um intenso intercâmbio com o Vicariato da Bolívia aprofundando uma recíproca colaboração. No ano de 1998, aprovou-se um projeto de grande alcance para ambos os Vicariatos: um centro de Teologia comum, com a participação de outros grupos agostinianos da América Latina, constituindo-se assim o Teologado de Cochabamba - Bolívia.

Procurando ser fiel ao Evangelho de Jesus Cristo e à missão evangelizadora da Igreja, o Vicariato da Consolação, seguindo a inspiração fundadora de Santo Agostinho, buscou em consonância com o Projeto de Revitalização da Ordem na América Latina, intitulado "Hipona: Coração Novo", refontalizar-se como "Agostinianos novos para tempos novos", visibilizando seu ideal e sua ação no "Plano Global do Vicariato".

Abrindo-se a ação vivificante, renovadora e transformadora do Espírito Santo, em caminhada para aquela nova Cidade do Pai, anuncia com alegria e esperança o Senhor da Vida e da História e com confiança filial coloca-se sob a proteção daquela que é a serva fiel e perfeita discípula, a quem invocamos como nossa Mãe da Consolação.

Em seus mais de oitenta anos de história, o Vicariato da Consolação busca fortalecer suas bases em relação ao futuro, valorizando e priorizando a formação dos futuros religiosos, como também, estruturando a administração das obras através de uma diretoria executiva que conta com Leigos(as) Profissionais.

 

Últimas Notícias

Aconteceu